quarta-feira, 9 de abril de 2008

Teoria 14: Trabalhos e Provas

Em homenagem a nossa querida prova arcaica de ontem, exponho aqui a minha teoria sobre Trabalhos e Provas, que surgiu em uma discussão com um professor do nosso queridíssimo excelentíssimo Eixo Biológico, o Soberano. Já antecipo que essa teoria parece mais uma constatação, visto que ninguém discorda e parece óbvio. Mas vou postar mesmo assim.

Teoria: Na prova, visamos nota. No trabalho, acabamos focando mais no entendimento. Dessa forma, em trabalho se aprende mais que em prova.

A questão é que no trabalho normalmente você tem um tempo para se envolver e relacionar com o tema. A prova é algo ultrapassado, em que contabilizamos nosso aprendizado em questões mal formuladas que não na maioria das vezes não permite que o aluno consiga mostrar o que aprendeu, e sim o quanto aprendeu do conteúdo cobrado em algumas questões e o quanto ele merece com isso. Ah, e tudo isso sob um momento de pressão, que é um professor na frente te observando escrever em um papel, dentro de perguntas limitadas, o quanto você sabe de algo que ele sabe muito.

Enfim, trabalho é muito mais interessante. Copiando Antonio Prata, "prova é de direita, trabalho é de esquerda."

6 comentários:

Lucio disse...

prova eh de exatas... trabalho eh de humanas...
biologicas... hum... acho q sempre vai ter os dois msm... =/

Rayssa. disse...

só pra constar: prova de anatomia é uma merda, que ainda consegue me tirar o sono de vez em quando.
odeio a unifesp inteira nesses momentos

João disse...

Bom, para uma grande parcela dos universitários na prova você visa a nota, e no trabalho também.

É o meu ponto de discórdia da teoria. Mas de qualquer maneira, é muito melhor visar a nota fazendo um trabalho do que uma prova.

Ainda bem que foi a Bel que psotou essa teoria, não queria ter meus comentários colocados em xeque novamente. =P

Maneco disse...

mais um exemplo para reforçar a teoria, nessa prova do MAC nós tivemos uma pergunta meio estranha: "porque o núcleo é organizado?"... eu senti uma vontade imensa de responder "porque o DNA não costuma fazer bagunça", no fim o conhecimento pedido era tão simples que qualquer aluno do terceiro ano do médio que vai prestar apenas o vestibular da unicef tem, mas e para entender o que que o professor queria???

e sobre o comentário do lúcio "prova é de exatas", concordo plenamente, não há dúvidas sobre o que é pedido, não há pegadinhas não há múltiplas respostas possíveis... ai sim uma prova mede se você conhece ou não o assunto...

Bel Keppler disse...

kinna: só para dizer que foi erradíssimo o que vc fez!!! não pode deletar teorias assim, sem nem deixar as pessoas desbancá-las! Hehehe...

João disse...

Ué.. já não tava na 15?
Ou é meu pc que anda meio ranzinza?